Vem aí Setembro, o mês da Bíblia



Como nasceu o Mês da Bíblia?

O Mês da Bíblia surgiu em 1971, por ocasião do cinquentenário da Arquidiocese de Belo Horizonte, Minas Gerais. Foi levado adiante com a colaboração efetiva do Serviço de Animação Bíblica – Paulinas (SAB), até posteriormente ser assumido pela Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB) e estender-se ao âmbito nacional.

Mês da Bíblia 2020 aprofunda o Livro do Deuteronômio

Desde 1971, a Igreja Católica no Brasil dedica o mês de setembro à Bíblia, fazendo dele “um espaço privilegiado para aprofundar um livro ou um tema bíblico, no contexto específico da realidade brasileira e da caminhada da Igreja no País”. O mês de setembro foi escolhido para tal porque nele, dia 30, celebra-se São Jerônimo, tradutor da Bíblia para o latim, idioma do tempo em que viveu, de 340 a 420.

O tema deste mês da Bíblia é: “Abre tua mão para o teu irmão” (Dt 15,11). Conforme a apresentação do Texto-Base, Deuteronômio é um livro precioso para que se possa compreender o processo de revelação de Deus: de um Deus severo (tempos mais antigos) para um Deus misericordioso (tempos mais tardios). O livro de 34 capítulos relata buscas e encontros entre Deus e seu povo. É um livro rico em reflexões morais e éticas, com leis para regular as relações com Deus e com o próximo. O capítulo 15 destaca a solidariedade. É dele que é tirado o tema do Mês da Bíblia: “Abre tua mão para o teu irmão” (15,11). O capítulo 30 propõe a escolha entre a vida e a morte, a felicidade e a infelicidade, a bênção e a maldição. E como imperativo conclusivo: “Escolhe, pois, a vida!”

2 visualizações0 comentário