Coleta para as Missões

Atualizado: 30 de Nov de 2019

Coleta para as missões, um gesto de generosidade para além da comunidade


Em 1926, o Papa Pio XI instituiu o Dia Mundial das Missões para ser celebrado no penúltimo domingo de outubro, este ano dia 20, com uma coleta destinada à obra missionária da Igreja no mundo, especialmente nas regiões mais pobres. No Brasil, a Campanha Missionária é organizada pelas Pontifícias Obras Missionárias que prepara amplo material de aprofundamento da ação missionária, característica fundamental da Igreja. Colaboram com esta Campanha a CNBB por meio da Comissão para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, a Comissão para a Amazônia e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional (Comina). Neste ano, a Campanha ganha especial destaque pelo Mês Missionário Extraordinário. O gesto da coleta é feito para sensibilizar e dizer às comunidades que já têm uma evangelização mais fortalecida que não podem ficar contentes somente com o seu trabalho e sua caminhada. São convidadas a ajudar tantas regiões mais necessitadas de missionários e de recursos como, por exemplo, 1.050 dioceses pobres nos chamados “territórios de missão” e diversos projetos na África, Ásia, Oceania e América Latina, para os quais são destinados 80% do resultado da coleta. Os outros 20% são para a ação missionária no Brasil.


Projetos desenvolvidos pela coleta missionária


A direção nacional das Pontifícias Obras Missionárias repassa os valores para o Fundo Mundial de Caridade em Roma, e na Assembleia Geral, no mês de maio, avalia, aprova e destina os recursos para os Projetos nos cinco continentes. Os principais projetos são: trabalhos de promoção humana, catequese e evangelização; formação dos futuros sacerdotes e religiosos(as); manutenção de missionários e igrejas em terras de missão; meios de comunicação social e de transporte; apoio e ajuda a centros de educação e saúde, casas de portadores de deficiências físicas; construções de capelas, igrejas, seminários e hospitais;  casas para idosos, orfanatos, creches, centros de reeducação social e dependentes químicos.

4 visualizações0 comentário