A Voz da Diocese

“Profeta das nações”


Saudamos todos os irmãos e irmãs que acompanham Voz da Diocese neste 4º Domingo do Tempo Comum e convidamos a refletir um dos temas que ela nos propõe: “Profeta das nações”.

Na primeira leitura encontramos a narrativa da vocação de Jeremias ( Jr 1,4-5; 15-17). Ele é chamado por Deus para ser profeta das nações. Esta escolha Deus a fez antes mesmo de seu nascimento. “Antes de formar-te no ventre de tua mãe, eu te conheci; antes de saíres do seio de tua mãe, eu te consagrei e te fiz profeta das nações” (Jr 1, 5). Além de chamar e enviar Jeremias, Deus promete que estará sempre a seu lado e por isso Jeremias não precisa temer: “[...] porque eu estou contigo para defender-te, diz o Senhor” (Jr 1, 19b). Este texto revela um diálogo sincero e profundo onde transparece de um lado, a fragilidade humana do homem e de outro, a força criadora de Deus.

Diante do chamado de Deus, o jovem Jeremias, fraco e simples, guiado pelo espírito de Deus é encorajado a estar diante do mundo e em todos os lugares sem temor para anunciar a sua Palavra.

Caríssimos irmãos e irmãs. O salmista canta as maravilhas de Deus e anuncia seus feitos de todos os dias: “Minha boca anunciará todos os dias, vossas graças incontáveis, ó Senhor” (Sl 70, 15a). ajuda-nos a reconhecer a ação de Deus em nossa vida.

A segunda leitura apresenta o belo Hino à Caridade feito por São Paulo à comunidade de Corinto. Nele expressa o desejo de que todo o povo busque viver sempre os dons mais elevados, ou seja, que persevere na prática cristã do amor. Ensina as grandes virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade, recordando que a virtude maior de todas é a caridade. Ainda demonstra que a comunidade se torna verdadeiramente profética quando abraça gratuitamente essas virtudes e as vive sem distinção de pessoas, de forma universal, pois, a comunidade profética não se realiza somente nas palavras, mas também no comportamento humano e seu relacionamento de comunhão com os irmãos e irmãs.

No relato do Evangelho, Jesus dá continuidade ao diálogo na Sinagoga de Nazaré refletido na liturgia de domingo passado. Tendo apresentado seu programa de vida quando leu o Livro do Profeta Isaías que dizia: “O Espírito de Deus está sobre mim, pois me ungiu e enviou a anunciar a boa nova aos pobres...” (cf. Lc 1,18) Jesus coloca em destaque a Palavra de Deus, mostra o seu cumprimento ao revelar-se ele mesmo, como profeta enviado, não só ao povo judeu, mas a todas as nações. É reconhecendo alguns admiradores, mas muitos o rejeitavam. Por isso, Jesus disse: “Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua casa” (Lc 4,24). Jesus, portanto, encontra acolhimento ao anunciar o ano da graça, mas enfrenta resistência no mistério de ter sido enviado como Messias. Mas Ele mostra que nada vai impedir de realizar a missão profética que lhe foi confiada. Jesus continua seu caminho de anunciar a Boa Nova a todos, pois foi para isso que veio.

Prezados irmãos e irmãs. Duas coisas são importantes para nós, como resultado do que ouvimos na Palavra de Deus; Primeiro: Que acolhendo Jesus, no mistério de sua missão profética, nos sintamos também chamados a ser “profeta das nações”, sendo coerentes em nossas palavras e atitudes. Segundo: Que reconhecendo a importância da caridade como o “dom mais elevado” na vivência comunitária, procuremos viver a escuta, o acolhimento, o respeito e a preocupação com os outros, pois, “podemos ter tudo e fazer tudo, mas nada adianta se não tivermos caridade.

Que Deus abençoe a todos!

Dom Adimir Antonio Mazali

Bispo Diocesano de Erexim – RS

3 visualizações0 comentário