A Voz da Diocese

“Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24,15)


Nossa saudação a todos os irmãos e irmãs que novamente acompanham Voz da Diocese e de modo muito especial, todas as lideranças que atuam em nossas comunidades, neste dia dedicado à vocação laical dentro do espírito do mês vocacional, que nos diz: “Cristo nos salva e nos envia”.

Queremos refletir a Palavra de Deus deste 21º Domingo do Tempo Comum que nos convida a tomar uma decisão por Cristo que “tem palavras de vida eterna”.

Na primeira leitura, Josué reúne as tribos de Israel e os coloca diante da necessidade de uma decisão: “Se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor” (Js 24,15). O povo reconhece a ação de Deus em sua história e decide optar como Josué: “[...] Nós também serviremos ao Senhor, porque ele é o nosso Deus” (Js 24, 18b).

Da mesma forma, no Evangelho, diante da crise vivida pelos discípulos, quanto ao seguimento a Jesus por causa de suas firmes palavras e a dureza de sua pregação, Jesus os questiona: “Vós também quereis ir embora? Simão Pedro respondeu: a quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós cremos firmemente e reconhecemos que Tu és o Santo de Deus” (Jo 6, 68-69).

Caríssimos irmãos e irmãs. A mensagem deste final de semana nos mostra que todos nós batizados, vivendo nossa opção vocacional específica, seja como leigos (as), sacerdotes ou religiosos (as), precisamos fazer nossa opção e confirmar nossa decisão pelas coisas de Deus, orientados pela sua Palavra e inseridos na Comunidade Cristã, bem como, na sociedade. A decisão de Josué deve ser a nossa opção: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24,15), da mesma forma que reconhecemos como Simão Pedro que só Jesus “tem palavras de vida eterna” (Jo 6,68).

A opção fundamental por Cristo orienta nossa maneira de viver. Na família, determinam os deveres entre esposo e esposa tendo por base o amor de Cristo pela sua Igreja. “Mulheres, sejam solícitas em tudo aos seus maridos. Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja” (2ª Leitura: Ef 5, 24-25). Estas relações que iniciam nas famílias se estendem nos relacionamentos sociais, capaz de “imprimir na sociedade um caráter de amor destinado a transformá-la, humanizá-la e cristianizá-la” (Cf. missal romano dominicial, p. 1001).

Prezados irmãos e irmãs. O encontro com Cristo nos provoca. Não podemos ignorar sua presença em nossa vida; temos que tomar uma decisão. Deus não se impõe a nós, mas nos propõe um caminho que exige de nós a fé e uma opção por Ele. Somos livres de aceitá-lo ou de rejeitá-lo, mas é bom lembrar que só “Ele tem palavras de vida eterna”. Portanto, a melhor resposta é seguir a opção de Josué: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24,15).

Que São José, neste ano a ele dedicado e Maria, a primeira discípula, nos ajude a fazermos a opção certa de “provar e ver quão suave é o Senhor” (Sl 33).

Expressamos nossa gratidão aos leigos e leigas, inseridos e atuantes em nossas comunidades e nos mais diversos serviços da sociedade e rogamos ao Senhor que abençoe a todos. Amém!

Dom Adimir Antonio Mazali

Bispo Diocesano de Erexim – RS

3 visualizações0 comentário