A Voz da Diocese

EUCARISTIA: “Daí pão a quem tem fome”





Prezados irmãos e irmãs que acompanham Voz da Diocese, nossa saudação de alegria no espírito de nosso jubileu diocesano: 50 anos a serviço da fé e da vida.

Iniciamos o mês de junho com uma grande solenidade em nossa Igreja, dia 03: “Corpus Christi”. Uma festa eucarística na qual recordamos a centralidade da vida de nossas comunidades e de nossa fé ao longo da história. Por isso, em nossa diocese, promovemos o Jubileu Eucarístico para fortalecer a unidade na diversidade de nossas comunidades. A Eucaristia nos une em torno da mesma mesa, do mesmo pão e da mesma presença real de Jesus que nos alimenta com seu próprio corpo e sangue e nos sustenta na missão evangelizadora ao longo de nossa história.

A festa de Corpus Christi é uma das mais antigas na Igreja e foi instituída pelo Papa Urbano IV, em 1264 para ser celebrada na quinta-feira depois da festa da Santíssima Trindade. Se a Trindade é uma comunidade de amor, a Eucaristia nos reúne em torno do mesmo pão que é fruto do imenso amor de Cristo que se doa a nós.

Já no início do segundo século, afirmou Santo Ignácio de Antioquia: “A Eucaristia é remédio de imortalidade e reúne todos ao redor do Senhor Jesus Cristo e ao mesmo tempo o pão consagrado, é remédio de imortalidade, antídoto para não morrer, mas para viver em Jesus Cristo para sempre”. E prossegue: “A Eucaristia é o alimento para a vida eterna, que nos prepara para a unidade com o Senhor. Ela ajuda-nos a viver na caridade, no amor a Deus, ao próximo como a si mesmo”.

Corpus Christi é uma festa que nos convida a manifestar nossa fé na presença real de Cristo na Eucaristia que se dá pela transubstanciação, ou seja, nas espécies do pão e do vinho está verdadeiramente presente Jesus Cristo em seu corpo, sangue, alma e divindade. A aparência de pão e de vinho continua a mesma, mas a sua substância passa a ser o Corpo e Sangue de Cristo.

Portanto, celebrar Corpus Christi é um convite a, publicamente, renovarmos nossa fé na presença real de Jesus na Eucaristia. “A Eucaristia, presença salvífica de Jesus na comunidade dos fiéis é seu alimento espiritual, é o que de mais precioso pode ter a Igreja no seu caminho ao longo da história” (Ecclesia de Eucharistia – São João Paulo II). “A Eucaristia é a minha autoestrada para o céu”, afirmava o jovem Beato Carlo Acutis. Um convite a compreendermos a sua importância em nossa vida.

No contexto da pandemia, muitas famílias passam por dificuldades. Assim, convidamos a todos a viver o sentido profundo da Eucaristia. Ela é comunhão, é partilha, é doação, que Cristo faz de si mesmo a nós. Da mesma forma nos pede a fazer a experiência da partilha do pão da solidariedade com os mais necessitados: “Daí pão a quem tem fome...” ou ainda: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. A partilha do pão material deve ser prolongamento da partilha eucarística: “Partilhavam o pão com alegria e não havia necessitados entre eles” (At 2, 42-47).

Caríssimos irmãos e irmãs. Façamos esta experiência como grande ação de graças pelo amor doação que Cristo revelou a nós na ultima ceia e plenificou no mistério de sua cruz e seja este gesto, o compromisso de nosso Jubileu Eucarístico. Sejamos sempre generosos, pois Deus é sempre generoso para conosco.

“Louvado seja o Santíssimo Sacramento do altar!” Deus vos abençoe. Amém!

Dom Adimir Antonio Mazali

Bispo Diocesano de Erexim – RS



3 visualizações0 comentário